Eventos e Notícias

Confira a agenda de eventos e faça a sua programação.

Voltar para últimos eventos e notícias
    Crédito: Fotografia Mario Takeashi (CICS USP)
Projeto reduz em 50% emissão de CO2 e consumo de água no uso de concreto
  • Data:20 de Janeiro de 2020
  • Local:São Paulo

InterCement e USP testaram tecnologia nas fundações de edifício do Centro de Inovação em Construção Sustentável (CICS)

A InterCement e a USP concluíram os testes que demonstram a viabilidade de uma nova tecnologia capaz de reduzir em 50% do CO2 gerado na produção de concreto. O concreto LEAP – low CO2 emission, advanced performance –exige menor volume de água para garantir durabilidade do material, e foi avaliado em relatório do Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas – PNUMA como uma das melhores tecnologias para mitigar as emissões de gás carbônico a baixo custo.

O novo concreto foi desenvolvido em parceria pela Escola Politécnica da USP e a InterCement, utilizando a estrutura fabril da empresa, e agora é aplicado nas fundações do edifício sede do Centro de Inovação em Construção Sustentável (CICS) do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da USP.

“A aplicação demonstra a viabilidade de produção de concreto LEAP em escala industrial, utilizando centrais de concreto convencionais com mistura em caminhão betoneira”, diz Carlos José Massucato, diretor de desenvolvimento técnico e relações institucionais da InterCement. Massucato acrescenta que “a empresa continua investindo em programa de pesquisa e desenvolvimento voltado para a redução de seu impacto ambiental”.


Vista do canteiro do CICS durante a execução de estaca hélice contínua.
No primeiro plano, o equipamento de produção de estacas
hélice contínua e as armaduras montadas ArcelorMittal.
Ao fundo, os equipamentos InterCement.
Crédito: Fotografia Mario Takeashi (CICS USP).

Ainda segundo o diretor de desenvolvimento ambiental e coprocessamento corporativo da InterCement, Alexandre Citvaras, “a obra consolida a posição da InterCement como uma das empresas líderes globais em concretos de baixa pegada de CO2 e reafirma o compromisso da InterCement com o meio ambiente e a redução da emissão de gases de efeito estufa”.

A nova formulação precisou de 176 litros de água por metro cúbico de concreto – uma redução de 52% em relação aos altos teores convencionais, entre 250-300 litros/m³. “A produção de concretos com baixo teor de água e, em consequência, com baixo teor de cimento implica em abandono dos paradigmas tradicionais de formulação de concretos”, afirma o Prof. Rafael G. Pileggi, do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da USP. “É o início de uma era onde os modernos métodos de caracterização e os dispositivos de controle tecnológico deixam de ser custo e se transformam em benefícios econômicos e ambientais para os concretos.”

Além de InterCement e USP, participaram desta fase de testes as empresas Tuper, ArcelorMittal, Tarjab e Lafaete. As estacas de fundação às quais se acoplaram os sistemas de geração de energia geotérmica limpa foram desenvolvidas como parte de um projeto entre a USP e a Tuper. As armaduras da fundação foram entregues já montadas pela ArcelorMittal. A Tarjab e a Lafaete realizaram a montagem industrializada do canteiro.

Segundo o Prof. Vanderley John, da coordenação do CICS USP, “o sucesso da primeira aplicação industrial, utilizando equipamentos e produtos disponíveis no mercado de um país emergente, deverá consolidar a tecnologia como uma opção confiável e escalável para mitigar CO2 na cadeia do cimento”. Nas próximas etapas da obra, blocos de fundação e de estruturas de concreto pré-moldado também empregarão concretos LEAP.

Sobre a InterCement

A InterCement é uma das maiores fabricantes internacionais de cimento, tendo iniciado suas operações no Brasil, em 1974. A empresa produz e distribui cimento, agregados, concreto e cal para atacado, distribuidores, produtores de concreto, clientes industriais, entre outros. Com presença em seis países - Brasil, África do Sul, Argentina, Egito, Moçambique e Paraguai - a companhia conta com 35 fábricas de cimento e moagens, capacidade de 39 milhões de toneladas de cimento/ano e cerca de 7.000 profissionais diretos e indiretos. Com disciplina financeira, excelência operacional e sustentabilidade, a InterCement contribui para a geração de valores econômico, social e ambiental nos locais onde atua, sendo inclusive referência na utilização de combustíveis alternativos no processo de coprocessamento do cimento.

Sobre o CICS

Ao valorizar o necessário olhar multidisciplinar e sistêmico para a compreensão dos desafios, das possíveis soluções, e, sobretudo, da complexidade atual das tecnologias, o CICS - Centro de Inovação em Construção Sustentável busca fortalecer o avanço da construção civil sustentável a partir da geração de conhecimento que permita a devida compatibilização entre questões econômicas, ambientais e sociais. A Comissão Coordenadora é composta pelos professores Francisco Cardoso, Orestes Gonçalves, Vahan Agopyan e Vanderley John, do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da USP, que atuam junto à coordenadora executiva do CICS, arquiteta Diana Csillag.

Futura sede do CICS, o CICS Living Lab abrigará um ecossistema com o objetivo de acelerar a inovação e a sustentabilidade da construção, reunindo especialistas oriundos da academia, de empresas, de entidades governamentais e da sociedade civil. Na área científica, o CICS reúne pesquisadores da Escola Politécnica da USP (EPUSP), da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), do Instituto de Energia e Ambiente (IEE), da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU), e do Laboratório de Eficiência Energética em Edifícios da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Saiba mais sobre o CICS: http://cics.prp.usp.br/.